Advisibrasil

quinta-feira, 27 de agosto de 2015

Preso em Goiás possível acusado de assassinar advogada em Itaituba

O suposto autor do bárbaro crime que ceifou a vida de Leda Martha Lucyk dos Santos foi capturado na cidade de Estrela do Norte, conforme informações do delegado Jardel Guimarães. Por enquanto, ele está sendo identificado como Adenilson Ferreira de Sousa e era procurado pela polícia goiana por ser acusado de ter assassinado um idoso de 80 anos.

A suspeita do delegado paraense Jardel Guimarães é que o homem apresentado como Adenilson seja Dejacir Ferreira de Sousa, também conhecido como "Smurf". Desde ontem (25), a autoridade policial mantém contato com a Polícia Civil do Estado de Goiás, especialmente com um policial civil que já atuou no município de Itaituba, região oeste do Pará.

Um dos vice-presidentes da Comissão de Defesa de Direitos e Prerrogativas da OAB/PA, o advogado Rodrigo Godinho já entrou em contato com o Delegado Geral da Polícia Civil do Pará, Rilmar Firmino, para obter mais informações acerca do caso. A Ordem continuará a acompanhar as investigações, de maneira que seja confirmada a prisão de Djacir.


Mandante

A advogada Leda Martha Lucyk dos Santos, sua filha de 9 anos, e sua secretária, Hellen Taynara Siqueira Branco foram assassinadas no dia 22 de fevereiro de 2014. No dia 25 de fevereiro, o ex-marido da vítima e suspeito de ser o mandante do assassinato, o advogado Altair dos Santos, foi preso pela Polícia Civil do Pará, após sua prisão temporária ter sido decretada.

Posteriormente, o delegado responsável pelo caso requereu a prisão preventiva de Altair dos Santos, bem como de Dejacir Ferreira de Souza. No decorrer das investigações, Dejacir - conhecido como "Smurf" - foi apontado como executor dos homicídios. Ele foi reconhecido por meio das imagens gravadas em circuito interno. Até hoje, ele se encontra foragido. As prisões preventivas dos envolvidos foram decretadas pelo Juiz Sidney Pomar Falcão, no dia 24 de abril.

Denúncia

A 2ª promotora de Justiça de Itaituba, Magdalena Torres Teixeira, do Ministério Público do Estado do Pará (MPE), ofereceu denúncia em desfavor de Dejacir Ferreira de Sousa e o advogado Altair dos Santos também no dia 24 de abril de 2014.

Na denúncia, o MPE pediu que os acusados fossem levados a julgamento em Júri Popular. Acusado de ser o mandante do crime, Altair dos Santos responde por homicídio qualificado por motivo fútil. Ele encontra-se em prisão preventiva no Centro de Recuperação Regional de Itaituba.

Nenhum comentário:

Postar um comentário