Advisibrasil

quarta-feira, 2 de março de 2016

OAB-PA fará campanha contra a CPMF no Estado


Alberto Campos comandará a luta contra a CPMF no Pará.

O movimento “Agora Chega! Não à CPMF”, lançado hoje, na OAB Nacional, em Brasília, será realizado também no Pará. Segundo o presidente da OAB-PA, Alberto Campos, que participou do ato público nesta manhã (2), todos os presidentes das seccionais se comprometeram em disseminar a campanha em todo o Brasil, fortalecendo a luta contra mais impostos.

“O presidente Lamachia conta com o apoio de todos os presidentes seccionais e, teremos a incumbência de replicar este ato em nosso Estado. Nós convocaremos os presidentes das subseções e faremos com que os organismos da sociedade civil estejam presentes ao lado da OAB-PA, para promovermos um ato semelhante ao que foi realizado no Conselho Federal”, afirma o presidente da seccional do Pará.

De acordo com Alberto, o compromisso firmado em nome dos advogados paraenses, inclui o envolvimento das 24 subseções. “Este é o compromisso, assim como convocar os sindicatos e fazer um grande ato no Pará”, reforça Campos.


Movimento

Agora chega de aumentos na carga tributária. Foi esta a mensagem transmitida pela OAB Nacional e por mais de 100 outras entidades da sociedade civil, que se reuniram na manhã desta quarta-feira (2) em Brasília. Cobrando do governo a boa aplicação dos já fartos recursos arrecadados dos cidadãos, os participantes contam agora com a mobilização de todos os brasileiros nesta luta.

O presidente nacional da OAB, Claudio Lamachia, ressalvou logo no início do ato que o movimento não tem donos, sendo a união dos esforços de cada entidade que trará sucesso à empreitada. Segundo o advogado, a Ordem replicará o evento desta quarta em todas as suas 27 seccionais, permitindo que a mensagem chegue ao maior número de pessoas. Todas as entidades de alcance nacional farão o mesmo movimento.

“Este é um ato simples, mas de profundo simbolismo para o lançamento do movimento. Brasil precisa de um movimento com todos segmentos da sociedade, que representam entidades variadas, dando sinal claro para os cidadãos que não aceitamos mais carga tributária e soluções simples para resolver problemas que não foram criados por nós”, afirmou Lamachia.

O presidente da OAB refletiu ainda sobre o grande número de entidades da área de saúde envolvidas no movimento, relembrando que a CPMF quando foi criada era destinada à melhoria da saúde. “Temos dito que no Brasil faltam recursos para saúde, segurança e educação, mas sobra para a corrupção”, comparou.

O evento desta quarta marcou também o lançamento do site do movimento “Agora Chega de Carga Tributária”. No endereço eletrônico, os cidadãos podem apoiar a campanha assinando sua colaboração por meio das mídias sociais, como Facebook, e compartilhar a campanha, assim como conhecer as entidades envolvidas e acompanhar o noticiário sobre o tema, além de ter acesso ao material da campanha (banners e posts para redes sociais). A hashtag oficial do movimento é #NãoàCPMF.
Futuramente, será realizada uma grande caminhada até o Congresso Nacional, onde será entregue o manifesto elaborado pelas entidades da sociedade civil contrárias ao aumento da carga tributária, à recriação da CPMF e com outras demandas.

Manifestações
O conselheiro federal Bruno Reis apresentou manifesto elaborado por entidades de Minas Gerais, afirmando que espera que a CPMF não seja aprovada, pois só traria retrocessos ao país, sendo que a população não aguenta mais o governo alcançando a mão até o bolso dos contribuintes.

“Temos que nos engajar para que o povo brasileiro tenha consciência do que está acontecendo, saibam como são usados seus tributos. Há países com taxas maiores que a brasileira, mas com serviços muito melhores”, afirmou Antonio Rodrigues da Silva, presidente da ANPREV (Associação Nacional dos Procuradores e Advogados Públicos Federais).

Aurélio Dallapicula, do Fórum dos Conselhos Federais de Profissões Regulamentadas, disse que “observa-se no país todo a sangria ao bolso do contribuinte”. “Precisamos de movimentação para dar um basta a isso, não há mais como suportar a criação de novos impostos”, asseverou.

Para Luis Boudens, da FENAPEF (Federação Nacional dos Policiais Federais), os policiais federais têm obrigação de participar desta luta, pois combatem todos os dias a corrupção. Também afirmou que as associações estaduais estarão engajadas no movimento.

“Sociedade não tem que pagar pato para manter máquina inchada que não traz benefícios à sociedade. Não existe sinalizador de para onde serão encaminhados tributos. CPMF tinha finalidade de tirar saúde do caos, o que não aconteceu”, afirmou Rogério Fernandes, da Federação dos Empregados em Estabelecimentos e Serviços de Saúde no Estado de Minas Gerais.

João Martins, presidente da CNA (Confederação da Agricultura e Pecuária do Brasil), explicou que o setor que representa não aguenta mais impostos, senão perderá a competitividade que possui no mundo todo. Já Antonio Vieira, da Associação Brasileira dos Jornalistas, pediu que todos se engajem em espalhar a mensagem do movimento pelas redes sociais, levando explicações à população de por que é importante lutar contra a volta da CPMF.

Agora Chega de Carga Tributária - Não à CPMF http://www.agorachega.org.br/ 


Fotos: Eugênio Novaes

Fonte: OAB Nacional.

Nenhum comentário:

Postar um comentário