Advisibrasil

terça-feira, 16 de dezembro de 2014

Em Paragominas, presidente Jarbas visita instalações de projeto filantrópico


Depois de cumprir compromissos institucionais hoje pela manhã, Jarbas Vasconcelos e o presidente da subseção da OAB no município, Luiz Carlos Cereja, visitaram a Escola Eloi Polezuk, onde é desenvolvido o “Projeto Juquinha”. Os dois advogados também estiveram no local no qual está sendo construída a nova sede do projeto.

Voltado à assistência neuropsicomotora, pedagógica e social de crianças e jovens portadores de necessidades especiais, como Síndrome de Down, lesões cerebrais (encefalopatias da infância, deficiências sensoriais, de origem genética, de aprendizagem e linguagem, e autismo), o projeto é presidido por Rafhael Valle.

Leiam também:
  1.     Supersimples: advogados têm até janeiro para adesão
  2.     Novas sociedades de advogados podem solicitar o Simples na inscrição
  3.     Comissão da Mulher Advogada repudia conduta de deputado federal
  4.     Comissão Nacional da Verdade apresentará relatório final na OAB
  5.     STJ atende OAB e federaliza crime contra os direitos humanos
Estrutura

Localizada em um terreno doado, de quase 4 mil m², a nova sede possui 1300 metros de extensão, dispondo de 12 salas de estímulos, dois circuitos grandes. “Com isso, teremos capacidade de atender muito mais crianças do que nós atendemos hoje”, comemora Rafhael Valle. Na Escola Eloi Polezuk, são atendidas 130 crianças atualmente, cuja metodologia utilizada é o tratamento de desenvolvimento potencial humano.


“Aqui, nós vamos conseguir atender pelo menos mais 100 crianças”, projeta Rafhael Valle, referindo-se à nova sede do projeto. De acordo com ele, a inauguração será dia 23 de janeiro de 2015, data do aniversário de 50 anos do município de Paragominas. “Nós já começamos o ano letivo aqui na sede nova”, completou.

Ainda segundo Rafhael, o projeto é mantido pela Prefeitura Municipal de Paragominas por meio de convênio com a Associação José Pereira Farias e pela sociedade civil, com doações de pessoas, colaboradores, voluntários, doações de acordos judiciais, do ministério público e do poder judiciário. “É uma obra coletiva, cooperativa e social”, resumiu.


Equipe

Ao todo, 32 profissionais (pedagogos, fonoaudiólogos, fisioterapeutas, neuropedagogas) compõem a equipe multidisciplinar envolvida no projeto, que funciona entre 8h e 12h, e 13h30 e 17h30. Os interessados em incluir uma criança ou jovem no projeto podem estabelecer contato telefônico: (91) 3729 8072.

Fonte: OAB/Pará

Nenhum comentário:

Postar um comentário