Advisibrasil

sexta-feira, 5 de dezembro de 2014

Presidente da OAB recebe Troféu Dom Quixote, de cidadania e Justiça

 Marcus Vinicius recebeu o prêmio Dom Quixote, das mãos de Bernardo Cabral
(Foto: Eugenio Novaes - CFOAB ) 
Brasília – O presidente nacional da OAB, Marcus Vinicius Furtado Coêlho, recebeu nesta quarta-feira (3) o Troféu Dom Quixote, concedido a profissionais com atuação destacada em defesa da cidadania e da Justiça. “É com honra e gratidão que recebo tão importante honraria, um reconhecimento do trabalho da OAB, instituição que é a voz constitucional do cidadão”, afirmou Marcus Vinicius.

Em sua 24ª edição, a cerimônia de entrega do Troféu Dom Quixote foi realizada na sede do Supremo Tribunal Federal, em Brasília. A iniciativa é promovida com o apoio do Instituto Justiça & Cidadania, do STF e da Cemig. Também foram entregues os Troféus Sancho Pança, destinados a quem já ganhou o Dom Quixote mas continua com atuação destacada na área.

“A OAB tem tradição de defesa dos direitos constitucionais, da preservação dos direitos humanos. Esta homenagem que recebo dedico aos 850 mil advogados brasileiros e a esta entidade, que está sendo reconhecida no seu papel fundamental de preservação da democracia brasileira, do Estado de Direito e do cidadão de nosso país. A pessoa humana é o centro gravitacional do Estado, e sua proteção é matéria prima da OAB, que neste momento é reconhecida por este importante prêmio”, afirmou Marcus Vinicius.

Presidente da Confraria Dom Quixote membro honorário vitalício da OAB, Bernardo Cabral afirmou que “Dom Quixote está até hoje vivo na memória de todos nós”. “Só recebe este prêmio quem completa os requisitos de lutar pela ética, justiça, dignidade. Um dos agraciados é o presidente da OAB, Marcus Vinicius, alguém que preenche e encarna todas essas qualidades”, explicou Cabral, que entregou o prêmio a Marcus Vinicius.

O presidente da OAB retribuiu o gesto do membro honorário vitalício entregando a ele o primeiro exemplar do livro “Estudos do Direito Constitucional – Homenagem a Bernardo Cabral”, que traça panorama da atuação do jurista, que foi relator da Constituição de 1988.

Agraciado com prêmio Sancho Pança, o presidente do STF, Ricardo Lewandowski, lembrou que este é um evento tradicional no meio jurídico e premia personalidades que se destacam pelos seus esforços no avanço não só do direito, mas também da jurisprudência. “O presidente da OAB gosta de usar uma expressão que temos em comum, que é a família forense, em que todos os operadores do direito se congregavam em torno de ideais comuns. Isto é algo que se perdeu ao longo do tempo, o prêmio Dom Quixote retoma”, afirmou.

O ministro da Justiça, José Eduardo Cardozo, também premiado, afirmou que é dignificante para quem recebe, por conta da tradição que o troféu já tem no meio jurídico. “A classe jurídica vê esse prêmio como o Oscar. O Estado de Direito veio para o Brasil para nunca mais nos deixar”, disse Cardozo, que também parabenizou a Ordem pelo prêmio. “A OAB é uma entidade histórica no Brasil, presente em todas as grandes lutas, com trajetória intrinsecamente ligada à defesa do Estado de Direito.”

Editor da revista “Justiça & Cidadania” e fundador dos prêmios Dom Quixote e Sancho Pança, Orpheu Salles agradeceu a presença de todos na cerimônia de premiação e conclamou a seguirem “o caminho da ética e da moralidade, sempre com amor”.

O procurador-geral da República, Rodrigo Janot, também ganhador do prêmio, afirmou que o Dom Quixote já está consolidado em sua 24ª edição e “que é reconhecido e valoriza a atividade profissional daqueles que o recebem”.

Além de Marcus Vinicius Furtado Coêlho, foram agraciados com o Troféu Dom Quixote: Antonio José de Barros Levenhagen (presidente do TST); Guilherme Augusto Caputo Bastos (ministro do TST); Maria Cristina Irigoyen Peduzzi (ministra do TST); Admar Gonzaga Neto (ministro do STJ); Antonio Carlos Ferreira (ministro do STJ); Luciana Christina Guimarães Lóssio (ministra do TSE); João Augusto Ribeiro Nardes (ministro e presidente do TCU); Isaac Sidney (procurador-geral do Banco Central); Rodrigo Janot Monteiro de Barros (procurador-geral da República); José Renato Nallini (presidente do TJ-SP); Maria das Graças Pessôa Figueiredo (presidente do TJ-AM); Álvaro Teixeira da Costa (jornalista e presidente do Correio Braziliense e do Diários Associados); Manoel Carlos de Almeida Neto (secretário-geral da presidência do STF); Marcelo Rossi Nobre (advogado); Conceição Gonçalves Coelho (advogada); Maurício de Figueiredo Corrêa da Veiga (advogado); e Maria Celeste Morais Guimarães (diretora da Cemig).

O Troféu Sancho Pança foi entregue para: Ricardo Lewandowski (presidente do STF); Teori Albino Zavascki (ministro do STF); Antonio Herman de Vasconcellos e Benjamin (ministro do STJ); Laurita Hilário Vaz (ministra do STJ); José Eduardo Martins Cardozo (ministro da Justiça); Marco Antonio Rossi (empresário e presidente do Grupo Bradesco Seguros); e Maurício Dinepi (jornalista, presidente do Jornal do Commercio).


Fonte: Notícias OAB

Nenhum comentário:

Postar um comentário