Advisibrasil

quarta-feira, 4 de novembro de 2015

OAB quer maior rigor na apuração e punição para casos de racismo

"Este é um crime que reflete o pensamento autoritário 
que ainda povoa certos setores da sociedade" 
Brasília – O presidente nacional da OAB, Marcus Vinicius Furtado Coêlho, afirmou neste domingo (01), que o racismo não deve ser tolerado em nossa sociedade, e que é preciso maior rigor na apuração, identificação e punições alternativas ao simples encarceramento, que pudessem educar a população.

Conforme o presidente, é preciso que se crie uma cultura nacional para afastar esta chaga que ainda mancha a sociedade. “Devemos combater o racismo para que possamos edificar uma nação livre, plural, democrática e verdadeiramente igualitária. Este crime deve causar indignação sempre, não apenas quando grandes ícones fossem alvos, mas também quando as vítimas forem as pessoas simples de todo o país”, ressaltou o presidente.

“Este é um crime que reflete o pensamento autoritário que ainda povoa certos setores da sociedade brasileira, incapazes de aceitar e compreender o outro em sua integralidade e de respeitar a diversidade do ser humano”, destacou Marcus Vinicius.

Homenagem ao abolicionista
Na próxima terça-feira (3), em cerimônia na Universidade Presbiteriana Mackenzie, em São Paulo, a OAB prestará uma homenagem a Luiz Gama (1830-1882), negro liberto que se tornou libertador de negros, e foi responsável por alforriar, pela via judicial, mais de 500 escravos.

“Trata-se de uma justíssima homenagem a quem tanto lutou pela liberdade, igualdade e respeito. Ele era um grande defensor da abolição e sua atuação como rábula livrou inúmeras pessoas dos grilhões escravistas”, afirmou Marcus Vinicius.

Fonte: OAB - Conselho Federal

Nenhum comentário:

Postar um comentário