Advisibrasil

segunda-feira, 1 de dezembro de 2014

1º DE DEZEMBRO, DIA MUNDIAL DE COMBATE A AIDS: COMBATA O BOM COMBATE, PREVINA-SE!


Apesar da evolução nas formas de tratamento e prevenção, a AIDS continua sendo uma ameaça significativa aos brasileiros. Estima-se que mais de 750 mil pessoas contaminadas pelo vírus no Brasil, de acordo com as Nações Unidas. Mesmo com o primeiro diagnóstico da doença feito há mais de 30 anos, ainda existem dúvidas e muito preconceito em torno da epidemia.

O Brasil já encontrou um modelo de tratamento para a Síndrome de Imunodeficiência Adquirida, que hoje é considerado pela OMS (Organização Mundial de Saúde) uma referência para o mundo. O preconceito e a discriminação contra as pessoas que tem a doença, são as maiores barreiras no combate à epidemia, ao adequado apoio, à assistência e ao tratamento da Aids e ao seu diagnóstico. Separamos algumas informações sobre transmissão, prevenção e tratamento da doença. Tire suas dúvidas!


Você sabe o que é AIDS? Uma deficiência no sistema imunológico, associada com a infecção pelo vírus da imunodeficiência humana HIV – (Human Immunodeficiency Virus), provocando aumento na susceptibilidade a infecções oportunísticas e câncer. É uma DST (Doença Sexualmente Transmissível), ou seja, aquelas que são transmitidas principalmente durante o ato sexual.

Transmissão do HIV - O vírus HIV pode ser transmitido pelo sangue, sêmen, secreção vaginal, leite materno; Em relações sexuais homo ou heterossexuais, com penetração vaginal, oral ou anal, sem proteção da camisinha, transmitem a AIDS e outras doenças sexualmente transmissíveis e alguns tipos de hepatite; No compartilhamento de seringas entre usuários de drogas injetáveis; Na transfusão de sangue contaminado; Com instrumentos que cortam ou furam, não esterilizados e da mãe infectada para o filho, durante a gravidez, no parto e na amamentação.

Os principais sintomas - Os primeiros sintomas são muito parecidos com os de uma gripe, como febre e mal-estar. Por isso, a maioria dos casos passa despercebido. No estágio mais avançado os sintomas mais comuns são a febre, diarreia, suores noturnos e emagrecimento. A baixa imunidade permite o aparecimento de doenças oportunistas, que recebem esse nome por se aproveitarem da fraqueza do organismo. Com isso, atinge-se o estágio mais avançado do vírus, a AIDS. Quem chega a essa fase, por não saber ou não seguir o tratamento indicado pelos médicos, pode sofrer de hepatites virais, tuberculose, pneumonia, toxoplasmose e alguns tipos de câncer. Por isso, sempre que você transar sem camisinha ou passar por alguma outra situação de risco, aguarde 30 dias e faça o teste.

Vamos tratar - O acompanhamento médico da infecção pelo HIV é essencial, tanto para quem não apresenta sintomas e não toma remédios, quanto para quem já exibe algum sinal da doença e segue tratamento com os medicamentos antirretrovirais, fase que os médicos classificam como AIDS. Tomar os remédios conforme as indicações do médico é fundamental para ter sucesso no tratamento.

Fique sabendo - A Aids não é transmitida pelo beijo, abraço, toque, compartilhando talheres, utilizando o mesmo banheiro, pela tosse ou espirro, praticando esportes, na piscina, praia e, antes de tudo, não se transmite o vírus HIV dando a mão ao próximo, seja ele ou não soropositivo.

Previna-se – (a) Use camisinha. É indispensável usar corretamente e observar o prazo de validade. (b) Mantenha cuidados higiênicos lavando sempre as mãos e órgãos genitais antes e depois das relações sexuais. (c) Toda mulher com a vida sexual ativa deve fazer o exame preventivo do câncer de colo uterino que ajuda também a detectar DST’s. (d) Gestante: faça o pré-natal corretamente para evitar que uma possível DST passe para o feto.

Fontes:

1.Sesc Rio de Janeiro
2.Programa Nacional de DST e Aids do Ministério da Saúde.
3.Disponível em:


Acesso em: 30 nov. 2014.


Nenhum comentário:

Postar um comentário