Advisibrasil

quinta-feira, 19 de fevereiro de 2015

Debates movimentam a Semana de Valorização do Jovem Advogado na OAB-RJ

Rio de Janeiro e Brasília – A Semana Nacional de Valorização do Jovem Advogado movimentou os advogados do Rio de Janeiro. Na seccional fluminense da Ordem, o evento teve palestras, discussões e debates que abordaram de ética a empreendedorismo na advocacia.

Para o presidente da OAB Jovem da seccional, Eduardo Biondi, o principal objetivo do evento é auxiliar a inserção de advogados em início de carreira no mercado de trabalho. “É importante dar uma atenção especial a esta fase da carreira dos advogados. A OAB está atenta às necessidades dos novos profissionais e com este evento estamos tentando dar uma boa base a eles”, disse Biondi.

Leia mais:
Na OAB-RJ, a programação especial da Semana foi concentrada na quarta-feira (11), com um seminário que abordou dias diversos. Na primeira palestra do dia, o presidente da 7ª Turma do Tribunal de Ética e Disciplina (TED) da seccional, Antonio Ricardo Correa da Silva, falou sobre os conceitos e a conduta básica da ética e deu dicas aos novos colegas. A principal delas: contratos sempre devem ser feitos por escrito.

Segundo Correa da Silva, 30% das reclamações feitas ao TED têm origem na falta de contratos. “Independentemente de ser um amigo, pai ou mãe, todas as causas defendidas devem ser definidas em contratos por escrito. Mesmo que não haja cobrança de honorário envolvida na transação", assinalou.

TRANSPARÊNCIA

Outro ponto que deve ser esclarecido prévia e contratualmente, esclareceu o presidente da 7ª Turma do Tribunal de Ética, é a cobrança ou não de despesas administrativas, como fotocópias, ligações e locomoção, por exemplo.

“O advogado não pode chegar ao final do processo e cobrar mil reais de honorários e outros R$ 500 de despesas diversas se isso não estiver determinado em contrato. Esse é um documento que deve conter todas as informações possíveis desta relação contratual, inclusive se a causa é difícil ou não. É papel do advogado preparar o cliente para os riscos da propositura de uma ação judicial. É desleal fazer com que o cliente acredite no sucesso, quando você já sabe que as chances serão remotas. Digam se a causa é boa ou não, antes de aceitá-la. E depois abracem-na como sendo a causa das suas vidas, porque para os seus clientes de fato será. Esta é a base do comportamento ético”, disse.

A professora Larissa Clare Pochmann da Silva falou das inovações trazidas pelo novo Código de Processo Civil; empreendedorismo na advocacia foi o tema abordado pelo professor Diogo Hudson; os aspectos da advocacia corporativa foram apresentados pelo professor William Lopes Bastos; e o presidente da OAB Jovem Magé, Paulo Vinicius Dutra Lopes, falou sobre a postura do advogado perante os órgãos públicos.

A Semana Nacional do Jovem Advogado teve um grande impulso quando o Conselho Pleno da OAB aprovou o provimento que cria o Plano Nacional de Apoio ao Jovem Advogado. O documento traça os planos e metas para o profissional com até cinco anos de OAB e inclui tópicos como educação jurídica e defesa das prerrogativas.

O plano prevê ainda a criação do piso de remuneração mínima para os advogados contratados, além de ampla participação desses profissionais nas decisões das seccionais e das subseções e a institucionalização das OAB Jovens como órgãos de defesa, apoio e valorização do jovem advogado.


Fonte: OAB-Conselho Federal

Nenhum comentário:

Postar um comentário