Advisibrasil

quarta-feira, 8 de abril de 2015

Jarbas Vasconcelos recebe a visita de membros da APECT


A fim de assegurar o futuro dos advogados de carreira, dentro da empresa Correios e Telégrafos, foi realizada na tarde de ontem (06), uma reunião entre o presidente seccional, Jarbas Vasconcelos e a Associação dos Procuradores dos Correios Pará - APECT.

Em pauta, a extinção da vice-presidência jurídica. Essa extinção tende a gerar a supressão das atribuições típicas dos advogados, assim como a perda da autonomia dos profissionais da área jurídica. Na oportunidade, a presidente da APECT – PA, Ana Paula Abou Hosh entregou para o presidente da OAB/PA, o manifesto que relata a extinção da VIJUR, requerendo apoio institucional com objetivo de manter a estrutura jurídica autônoma e independente, dos advogados ecetistas.


Ainda essa semana, o manifesto será entregue também ao ministro das comunicações, a presidência da república, presidente do Supremo Tribunal Federal, ao ministro da Advocacia-Geral da União e ao presidente da câmara dos deputados e do senado.

Segundo Ana Paula, o objetivo da reunião é pedir apoio da seccional junto ao conselho federal. “Os representantes estaduais da associação estão procurando suas seccionais para pedir apoio junto ao Conselho Federal da OAB. Com isso, esperamos que a OAB nacional oficie os correios, a fim de ter uma resposta definitiva para esse problema.”

O presidente Jarbas Vasconcelos apoia a causa apresentada pela APECT. "A decisão dos correios está indo na contra mão do projeto de reforma política apresentada pela Ordem, que prevê, entre outras coisas, a ampliação e a independência dos setores jurídicos dos órgãos de administração direta e indireta do governo. Eles devem ter mais autonomia para defender seus órgãos. Nesse sentido, a OAB/PA vai lutar ao lado do advogado de carreira jurídica."

Manifesto

O manifesto será apresentado também pela associação no próximo dia (14), na reunião dos conselheiros seccionais. Depois disso, a OAB-PA irá encaminhar um pedido de apoio ao Conselho Federal da Ordem.

Fonte: OAB-PARÁ

Nenhum comentário:

Postar um comentário