Advisibrasil

terça-feira, 7 de abril de 2015

OAB apoia projeto ‘A Fada do Dente’ para conscientizar sobre o autismo

Brasília – A OAB Nacional, em parceria com a Universidade de São Paulo (USP) e a Universidade de San Diego, na Califórnia (EUA), apoia oficialmente a Organização Não Governamental Projeto A Fada do Dente, que visa conscientizar a sociedade sobre o autismo. Nesta quinta-feira (2), comemora-se o Dia Mundial de Conscientização do Autismo.

O presidente nacional da OAB, Marcus Vinicius Furtado Coêlho, destaca a importância do tema. “Esse aprofundamento social na questão é decisivo para que surjam novas estratégias de tratamento para esta disfunção. É papel da OAB representar os anseios do cidadão, e esta é uma causa nobre”, aponta.

Marco Antonio Innocenti, presidente da Comissão de Precatórios da OAB Nacional, é um dos apoiadores da ONG A Fada do Dente. Por suas indicações, a Ordem aprofundou suas manifestações de apoio. “O estudo do exoma do DNA vem abrindo portas e dando chaves para a descoberta de varias mutações genéticas relacionadas ao autismo. A OAB, com seu papel central na sociedade, pode influenciar o fortalecimento da pesquisa para se obter novos modelos de tratamento”, explica Innocenti.

O PROJETO

A Fada do Dente é um importante projeto científico que visa estimular a compreensão dos mecanismos biológicos por trás do autismo, uma alteração cerebral que causa disfunções globais, além de afetar e comprometer a capacidade de comunicação, compreensão e fala de milhões de crianças em todo o mundo.

A pesquisadora Patrícia Brandão Braga, coordenadora do Projeto A Fada do Dente, explica a base do projeto. “As diferenças entre quem tem e quem não tem autismo só poderão ser explicadas se conseguirmos ‘olhar’ para o que está acontecendo dentro da cabeça do autista, ou seja, conhecer melhor o seu cérebro. Mas isso só é possível usando exames de imagem, que ajudam, mas têm limitações”, aponta.

Ela também revela o porquê do nome do projeto. “Para se chegar a uma célula do cérebro que funcione bem, é preciso uma célula-tronco especial, a embrionária. Só que, ao nascermos, já não as temos mais. Mas um cientista japonês descobriu, em 2006, que é possível usar as células que estão dentro dos dentes de leite de crianças com autismo, quando esses dentinhos caem. Assim, com o dente de leite, é possível produzir as células do cérebro em laboratório”, resume Patrícia.

Para realizar uma doação à ONG Projeto A Fada do Dente, os dados bancários são os seguintes:

Projeto A Fada do Dente (clique aqui para conhecer o site oficial)

CNPJ: 21.487751/0001-54

Banco 237 (Bradesco)

Agência: 2692-1

Conta Corrente: 20568-0

Para saber quem pode participar do projeto e quais cuidados devem ser tomados com o dente de leite a ser utilizado, clique aqui.


Fonte: OAB-CONSELHO FEDERAL

Nenhum comentário:

Postar um comentário